16 março 2007

Lutero.

"Ah, se Deus permitisse que minha interpretação e a de todos os outros mestres desaparecesse, e que cada cristão pudesse chegar diretamente à Escritura apenas, e à pura palavra de Deus!
Percebe-se já por essa tagarelice minha a incomensurável diferença entre a palavra de Deus e todas as palavras humanas, e como homem algum pode, com todas as suas palavras, adequadamente alcançar e explicar uma única palavra de Deus.
Trata-se de uma palavra eterna e deve ser compreendida e meditada com uma mente silenciosa.
Ninguém é capaz de compreendê-la a não ser a mente que a contempla em silêncio."
Martinho Lutero, 1522.

Um comentário:

Lou Mello disse...

Lutero era como eu, um grande tolo. Imagine, não levar em conta os comentários e ficar só com as escrituras. Coisa mais ultrapassada.