25 junho 2008

Dois termos em latim

IUS CORRIGENDI

É o direito de se corrigir, desde que com moderação, aos filhos por ex.

Para a maioria doutrinária é exercício regular de um direito.

Para outros, é um estrito cumprimento do dever legal.

Castigo moderadamente aplicado são lícitos, mas perigosos.

As escrituras ensinam que não se deve reter a vara aos filhos.

OFENDICULUS

Aparatos pré-dispostos na defesa de um bem jurídico.

Por ex. Muros com cacos de vidro, cerca elétrica, grades, alarmes, cachorro, etc.

Para ser lícita deve ser visível, com avisos e inacessível a terceiros inocentes.

É uma legítima defesa pré-ordenada.

As escrituras ensinam que se roubarem nossas túnicas devemos dar a capa.

15 junho 2008

Não entendemos

Quando o filho do carpinteiro nos diz que devemos ter fé do tamanho de um grão de mostarda.

Ou quando o Rabi estimulou o mancebo a vender tudo o que tinha.

Talvez quando o filho de Davi é chamado de Senhor sendo filho do senhor Davi.

E quando o Messias repudia os religiosos de plantão, acusando-os de cercearem os direitos do povo em adentrar ao Reino.

....

11 junho 2008

Paradigmas

Os paradigmas são quem gostaríamos de ser.

Mas é um tipo de pessoa que faz aquilo que podemos fazer, ou já fazemos igual.

Olhamos e dizemos: faço o que ele faz, até melhor, e ele ganha mais que eu, ou quem sabe, tem mais fama ou crédito.

Quando o Rabi de Nazaré assumiu que era chegada sua hora, ensinou a seus seguidores que o discípulo não é maior que seu Mestre.

E quando se trata de discípulos, a disputa se torna acirrada para se ultrapassar os mandamentos ora ensinados, vide a briga dos apóstolos por quem era o maior.

Invertendo nossos conceitos, o Deus-encarnado falou que o maior deve ser aquele que serve.

O paradigma tem que ser quem serve, pois, na linguagem do Reino que é chegado, é assim.

Não querer ser como alguém que está por cima e tem as mesmas capacidades que você, até inferiores, não é algo que não se possa carregar, como disse o Mestre da Galiléia.

Se Ele disse, não poderíamos contestar.

04 junho 2008

Litígios

Também chamados de conflito de interesses, cizânias, brigas, querelas.

Ocorre quando alguém discorda de outrem e pestaneja acerca da sua posição.

Ou quando eu quero algo e você outra coisa, oposta.

Chamar alguém pra briga é ir contra as bases de crença e conhecimento dela.

Os litígios são resolvidos de diversas formas: naturalmente, administrativamente, judicialmente, ou talvez nem se resolvam, mas prolongam no tempo.

Conheço casos em que pessoas não se falam, por ocasião dos litígios.

O duro, não é se abster de andar com alguém, mas sim remoer aquilo dentro de si.

Quem sabe, como o Mestre disse, não devemos turbar nossos corações, e crer em Deus e também nEle, pois na casa do Pai há muitas moradas.

Disse também, em outras palavras e em uma linguagem diferente, que perdoar é o melhor remédio.

03 junho 2008

Dos dias

Tantas notícias diárias e tanta necessidade de informação.

No sábado tivemos o dia anti-tabagismo, um ótimo dia para tomar a decisão de parar de fumar.

Domingo é dia de descanso, nos nossos dias contemporâneos.

A segunda, cheia de cansaço, é dia de nos informarmos mais acerca da realidade.

Essa semana comemoramos o aniversário da independencia do Estado de Israel, 60 aninhos.

Como sempre, Israel é o termômetro entre Deus e o mundo onde vivemos.

A paz em Israel, uma vez decretada, nos trará mais problemas que imaginamos, talvez soluções.

Já na terça, por agora, só quero ir para casa, abraçar a caminha que me espera.

Vi uma reportagem sobre o ano de 1968 onde os estudantes da PUC e MACKENZIE no Rio lutavam em uma manifestação conhecida pelos mais de cem mil presentes da passeata nada tranquila.

E o tempo, como disse um zézão, não para.