31 maio 2009

Para febre

A febre das instuições religiosas em buscar o poder e demonstrar a superioridade dos líderes, me assombra.
Comparar a igreja formal com um exército militar, é assustador, pois não são poucos os que pulam etapas de graduação e se gabam das estrelas de suas patentes para assustar e coagir os praças/mero soldados.
Nisso, surgem os caciques/pajés em um mundinho onde ser índio é raro e onde fica difícil saber a quem ouvir/obedecer.
Os mais variados modismos e apelos emocionais, em um mundo de pessoas carentes e sofridas, torna a espiritualidade igrejesca uma agência para se extravazar as dores.
A temperatura sobe tanto, que a febre sintomática não se permite mais pensar, raciocinar, ponderar, buscar a tratabilidade e a moderação.
O corpo não responde aos comandos do cérebro e aquele sintoma emocial é confundido com ações espirituais.
Não, não me convence tampouco me alegra tratar as pessoas assim.
Porém, o povo precisa desse "tratamento", devido a falta de conhecimento e a falta de quem lhes ensine.
Fico a pensar, se isso, dos males, seria o menor.
Tenho lá minhas dúvidas quanto ao procedimento, mas tenho certeza de que febre é febre, e precisa de tratamento, descanso e remédio.

29 maio 2009

Anjos e Demônios

Um bom filme.
O Hanks em mais um filme agiu com brilhantismo e profissionalismo que lhe são inerentes.
A sociedade secreta dos Illuminati querem destruir a igreja católica, através da reputação do representante de Cristo na terra, a Pedra (Pedro), em meio a uma sucessão papal (o papa é tido como sucessor de Pedro, que segundo os católicos foi o primeiro papa).
Mas pelamordeDeus, não se deve confundir realidade com ficção.
O filme é legal, trata de algumas realidades e outras situações inventadas.
É de se surpreender a imaginação do autor deste e daquele, o Código.
Recomendo o filme.
Após, retornemos à realidade.

26 maio 2009

Efeito Colateral

Em meio a uma terrível dor de cabeça, surge um remédio.

Neosaldina.

Melhorou na hora.

Tenho medo disso, para ser sincero, pela minha ignorância a isso, preferiria até continuar com a dor, a ter que pensar na possibilidade de um efeito colateral.

Assim é com minhas atitudes.

Elas geram frutos, bons ou ruins.

Depende do que se planta.

O pior são as medidas acautelatórias que podem gerar efeitos indesejáveis futuros, muito embora os efeitos imediatos são bons.

Mas como já tomei o remédio, me resta torcer para não surgir efeitos indesejados no futuro.

Tanto na primeira realidade, quanto na segunda.

25 maio 2009

Sei lá

quem você realmente é?

24 maio 2009

Ouvi por aí

Vi um filme, que começa com a seguinte ilustraçao:

Diz uma lenda da Grécia que os deus gregos criaram a humanidade.

E com isso, criaram o amor, a fm de aprimorar a relaçao humana.

Logo, logo, tiveram que criar o riso, para contrabalancear o amor e seus efeitos.

22 maio 2009

To cansado

mas eu vou.

20 maio 2009

E quando eu fechar os olhos

E quando eu fechar os olhos e ver.

Ver que você não está tão perto de mim.

O ambiente escuro não for conhecido.

Não poderia andar tateando o vento.

Confiar em mim mesmo é mais difícil.

A glória de ser é maior que a de ter.

A falta de certezas atingem o coração.

E nos faz, dentre outras coisas.

Abrir os olhos.

E voltar.

18 maio 2009

Aprendi que...

O tempo e não o Q.I. é que define a maturidade de uma pessoa.

16 maio 2009

Temporariedade

O sofrimento da vida não é temporário.

Como diriam uns amigos, a vida e a dor andam juntas.

Não levanto a bandeira triunfalista de que no fim a vitória é certa, não nesta vida.

Na vida de Jó, que grande parte dos historiadores e teólogos dizem ser fictícia, a sua vitória final se deu por circunstâncias não existentes hoje, creio eu.

Desta vida, como diria o apóstolo, se fossemos esperar algo, seríamos os mais miseráveis homens.

Quero me preparar mais para a dor, para as perdas, para as derrotas, para as demissões, para a falta de dinheiro, para a solidão, para o abandono, para a perseguição.

Nada de maior se pode esperar daqui.

E o detalhe mais legal daqueles que foram chamados de heróis da fé, é que morreram sem receber a promessa.

Pois a promessa, tão cantada e arrotada nos dias de hoje (detalhe: sem conhecimento), não consiste na vitória desta vida, que eu chamo de mediocre.

A vida é temporária, os dias são maus, a dor nos persegue.

Continuemos a escrever, a viver, a trabalhar, a tentar.

Na vida de Jó, podemos obter diversas lições:

- Nem tudo são flores;

- Não é bom confiar plenamente nos seus parentes;

- Tampouco confiar plenamente nos amigos;

- Não é bom desafiar a Deus;

- Muito menos tentar argumentar contra o Todo-Poderoso;

- Nas adversidades obtemos o meio mais fácil de conhecer o Divino;

- Deus dá, Deus tira, bendito seja o nome do Senhor;

- No final tudo dá certo.

14 maio 2009

Sugestão

Não compartilhe da mesma fé que o próximo.

Nem sempre a fé que o próximo tem é a mesma que você tem.

Pois a fé consiste em alicerçar/fundamentar-se em algo que não se vê.

E dentro desse conceito, se encaixa inúmeras possibilidades de crença.

Não faça como eu, prefira não dizer que tem a mesma fé que os outros.

Ou seja, tenha sua própria fé.

13 maio 2009

Luz do mundo

Somos a luz do mundo.

E não se esconde uma lâmpada debaixo da cama.

Tampouco se ajunta 100 lâmpadas em um só lugar, quando há milhares de pontos escuros.

Somente por intermédio do Mestre Nazareno que iluminamos.

A iluminação deve ser pública e imitar os passos do Filho do Homem.

E a luz, além de dissipar as trevas, torna claro o que estava oculto.

Quero ser luz, em Yehoshua, no mundo.

09 maio 2009

Constatações

Dentro da realidade diária nua e crua constatamos que:

Nossos pais sempre serão nossos pais.

Nossa mãe (em regra) sempre será um colo amigo.

Não fomos feitos para sermos sozinhos.

Sempre é bom ter mais grana no bolso.

Os bons momentos nem sempre precisam de grana.

A paciência deve ser dom de Deus.

Estamos cada dia mais indiferentes em relação aos outros.

Não queremos compromissos quanto aos deveres.

Queremos inúmeros compromissos quanto aos direitos.

Constatamos que é besteira ficar constatando.

Porém, inevitável.

07 maio 2009

Andanças

Em meio a uma gripe mal curada e nas andanças do dia a dia, seria útil se questionar onde é que Deus quer que você esteja, sem contar aquela sensação de que o exato lugar onde você está não é o lugar em que deveria ficar.

Ou o questionamento seria: Porque não se abster dos fardos e cargas pesadas para viver com Cristo a plenitude da vida, que implica, dentre muitas outras coisas, em tomar a cruz e segui-lo (o que nos dias de hoje não deixaria de ser uma carga).

Andando por aí. Vamos pensando essas e outras possibilidades.

01 maio 2009

Dia do Trabalhador

O trabalho para o sustento surgiu com o desvio de Adão.

E Deus determinou que todo o homem pelo suor do rosto obteria o sustento.

Algo intriga, quanto ao trabalho, a saber, o fato de que nem todo trabalhador ganha o salário compatível com o trabalhado.

E mais, nem todos tem tanta chance de trabalhar.

Uma situação interessante é: pessoas culpam a Deus por seu estado.

Ou seja, pessoas culpam a Deus por nascerem pobres, por não terem trabalho, por perderem entes, por terem desistido, por chegarem em último, por se decepcionarem.

Como se Deus culpa tivesse disso.

No dia do trabalhador, imprescindível se torna buscar ser um trabalhador.

Para obter o sustento.

E para o dia marcado para tal, fazer sentido.