28 junho 2009

A vida é curta

E não sabemos aproveitá-la, com maturidade, responsabilidade e sabedoria.

E os dias passam, cada vez mais rápidos, sem que a vida seja vivida com qualidade.

27 junho 2009

Puxa Saco

Tem gente com mania de exaltar o outro.



O outro, nesse caso, sempre exerce alguma autoridade, seja no serviço ou no governo.



Faz-se de tudo para ser conhecido.



E ainda mais, para enaltecer o outro, que tem algum cargo.



Não é muito meu jeito de ser, muito embora todos queiram de alguma maneira agradar a um superior.



O fato é que nem sempre é bom puxar o saco, pois nem todo puxa-saquismo tem bons frutos.

25 junho 2009

O que te leva a fazer isso?

O que levaria uma mulher linda a se prostituir?

Ou um empresário a se enriquecer injustamente às custas alheias?

O que levaria as multinacionais a explorarem o povo?

Ou um homem a trair sua mulher?

O que leva o jovem a mudar de idéia?

Ou a senhora se acomodar com a vida?

O que leva à preguiça de pensar?

E de ler? falar? ouvir?

O que leva um casal se agredir?

E um filho a se rebelar?

O que te leva a crer que suas forças mudarão sua vida?

O que te leva a crer que Deus resituirá sua felicidade?

O que me leva a crer que poderia perguntar tanta coisa?

dinheiro, carência, maldade, preguiça, sono, violência, pecado...

Pode ser isso...Pode ser outra coisa...

O que me leva a fazer isso?

A resposta mais óbvia seria: não sei.

21 junho 2009

Casa de ferreiro,

Espeto de pau.

Já dizia o ditado.

Não convêm que seja assim.

Mas isso acontece e muito.

Temos todas as ferramentas para mudar, transformar, atingir, alterar, ajudar em algo.

Contribuímos até com as outras pessoas.

E nossas próprias casas, vidas, famílias, sonhos, não são concretizados por pura desídia.

16 junho 2009

Recupere Créditos

Quando eu trabalhava na Caixa Econômica Federal, era responsável pela inscrição em dívida ativa dos débitos administrativos relativos ao (tão famoso) FGTS - Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

O setor se chamava: Recuperar Créditos.

Basicamente, a meta daquele setor era (recuperar créditos) trazer novas possibilidades de pagamento aos empregadores devedores do FGTS, seja por meio administrativo, seja pelo judicial.

O FGTS é um marco na história do trabalho brasileiro. Pouca gente consegue juntar dinheiro e esse "desconto" compulsório se mostra apto a ajudar muitos trabalhadores.

Pena (lastimável, eu diria) é que nem todo trabalhador tem direito ao FGTS e nem todo empregador o recolhe para seu empregado.

Porém, o não pagamento do FGTS gera ao empregador a impossibilidade de ter uma certidão negativa do CRF - Certificado de Regularidade Fiscal do FGTS.

E isso trava as empresas no âmbito licitatório, tributário e junto aos órgãos fiscalizadores como a DRT - Delegacia Regional do Trabalho.

No âmbito do serviço público, não existe esse benefício (claro, o Estado não iria querer ter esse ônus com os seus).

Voltando a recuperação de créditos, a meta principal era fornecer parcelamentos, milionários por sinal, aos empregadores mau pagadores.

Recuperar créditos na vida é buscar de volta aquilo que já quase desistimos.

O débito é tão grande.

A certidão só sai positiva.

O nome já está sujo.

Os sonhos jogados ao chão.

As perspectivas minguando.

E eis que surge um setor, de recuperação de créditos, que te fornece a melhor oportunidade possível de parcelamento para limpar a casa suja e renovar seus sonhos.

O manager é Jesus Cristo, o Filho de Deus.

Esse eu garanto que não tem agendamento de consulta, não cobra honorários, nem consultas, nem testes ou ensaios, tampouco exames ou remédios. E o melhor, te atende na hora.

Vamos recuperar nossos créditos, junto a Deus.

15 junho 2009

A superficialidade nossa de cada dia

Surpreendo-me comigo mesmo dia após dia.

Não bastasse com minha pessoa, minha supresa deve-se aos outros também.

Somos superficiais por natureza.

Não nos entregamos até o fim no âmbito relacional.

Não procuramos todas as vertentes no âmbito profissional.

Não nos apronfundamos naquilo que professamos acreditar.

Defendemos teses sem saber o que estamos fazendo.

Entramos em reuniões sem saber o que sequer está em pauta.

E mais, condenamos as correntes de idéias diferentes da nossa sem direito a explicações.

Mas eu sei, acho que sei, que o ser humano é dotado de limitações.

Sei ainda, acho ainda, que as limitações humanas não permitem ao homem mediano conhecer as ciências disponíveis em sua totalidade, bem como se apronfundar em mais de uma matéria.

Geralmente quem é bom em algo, padece de outro lado.

Se sou bom médico, talvez não seja um bom pai.

Ou talvez se sou um bom marido, não seja um bom motorista.

Não há ligações, não há regras.

Mas, exceto as raridades intelectuais, não somos bons em tudo.

Em uma coisa, até doutor, em outra, superficial.

12 junho 2009

Dia dos Namorados

Um dia comercial, como os outros.

Mas esse, juntamente com outros poucos, estimula o amor mútuo e a valorização do parceiro.

Não, não com presentes somente, mas com gestos de carinho, afeto e atenção.

Queremos ter alguém para nos marcar, nos cuidar, viver conosco os nossos sonhos e construir ao nosso lado a história de nossas vidas.

Dançar na chuva, ler para o outro, ficar do lado sem falar nada, dividir um único potinho de sorvete ou ainda um miojo, abraçar sem ter pressa de largar, andar de mãos dadas, brincar de pega-pega ou se esconder na casa.

Tantas situações, uma só vontade, construir a vida ao lado de alguém.

07 junho 2009

Modernidade

As diversas áreas do conhecimento estão se alargando.

No passado, as ciências eram poucas e o conhecimento individual escasso.

Incrível como a ciência, e por conseguinte a humanidade evoluíram tanto a ponto e voar, ou ir ao espaço, ou ainda ter a cura para várias doenças.

No Livro de Daniel, tem um versículo que diz que a ciência/conhecimento se multiplicaria.

Alguns dizem ser um dos sinais do fim dos tempos.

A concorrência desleal do mercado de trabalho tem a ver com isso.

Afinal, com o alto índice de informações, ganha espaço quem mais as absorveu.

Nesse sentido a fé de muitos se esfria.

Não é de se estranhar, pois com o pseudo-conhecimento, surge a pseudo-independência, de Deus, do mundo e de tudo que nele há.

Sabendo disso, creio que Deus criou um mecanismo no coração humano para sentir falta de algo, sentir a incomplitude de ser humano, a falta de amor divino, e mais, de sentido existencial.

Esse é o elo entre o Divino e o carnal.

O conhecimento por si só não supre o sentido de viver.

06 junho 2009

Mulher Invisível

Cedi a tentação de não assistir um filme brasileiro.

Não, sua maioria não é bom, além de monótono.

Mas, por algum acaso, fui assistir a Mulher Invisível.

Com Selton Mello e Luana Piovani.

O camarada perde a esposa, e depois de um tempo surge uma vizinha pedindo um copo de açucar.

Detalhe, a vizinha é a mulher ideal, mas não passa de uma invenção da cabeça dele.

Além de engraçado, o filme relata com muita propriedade a desenfreada busca pela pessoa idealizada em nossas cabeças.

Assista o trailer, aqui.

Recomendo também.

03 junho 2009

Salvem a coletividade.

A coletividade está em extinção.

Em seu lugar, assume o individualismo.

Viver em comunidade nada tem a ver com proteger a coletividade.

E, por mais que vivamos em comunidades, até mesmo frequentemos reuniões, há vistas grossas quanto ao coletivo, bem comum.

Manifestações individuais ferem a harmonia, a pureza e hombridade de se respeitar o coletivo, o que é de todos, a unidade.

Em cultos, em reuniões de condomínio, em salas de aula, em ambientes de trabalho ocorre isso.

Tomemos cuidado com as experiências pessoais em detrimento do coletivo.

No âmbito cristão, o apóstolo Paulo sempre defendeu tal preservação, a ponto de não comer por ocasião dos escandalos.

Penso assim.

Salvem a coletividade.

01 junho 2009

Relacionamento

Não é fácil.

Também não é difícil.

Quem está dentro quer sair.

Quem está fora quer entrar.

Relacionamentos sérios são como agulhas em meio ao palheiro.

Principalmente no tocante ao compromisso.

Como diz minha mãe: "As pessoas não querem compromisso."

No meu último compromisso, comparo ao filme "Como perder um homem em 10 dias" (por favor se não assistiram, não assistam..rs).

Por agora também não sei se quero algo sério tão cedo (magoei..rs).

Me envolver de novo, só se for para ser casal de verdade como o Lou e a Dedé (que faz um belo macarrone).