15 março 2007

Perto, mas longe.

João 18:10
Então Simão Pedro, que tinha espada, desembainhou-a, e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco.
I Pedro 2: 21 a 24
Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano. O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente; Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.
Não, não sei se é o mesmo Pedro o que cortou a orelha de Malco e o que reconhece o sofrimento de Cristo Jesus para nossa redenção.
Mas se for, temos aqui um perfeito exemplo de um homem que estava perto, de Jesus, e ao mesmo tempo longe, muito longe.
E será que não é assim comigo e também com você. Nós intulamos Cristãos, seguidores de Jesus Cristo, e em várias ocasiões agimos, se impensadamente não o sei, em desconformidade com os ensinamentos do Mestre.
Mesmo que não seja o mesmo Pedro, perceba que ele andou com Cristo, o mesmo que curou multidões, mudou o rumo de vidas, abençoou aos que estavam afastados, e Pedro ali, bem do ladinho do Mestre, absorvendo suas palavras, seus gestos, seus exemplos e atitudes.
E ainda ouvindo diversas vezes sobre o amor de Deus, andava com sua espada embainhada. Ouvi dizer uma vez que Jesus não o advertira, pois não adiantaria, Pedro até poderia tirar a espada da cintura, mas dificilmente a tiraria do coração.
E foi preciso a morte de Jesus, Sua ressurreição e a descida do Espírito Santo para Pedro aprender, entender, discernir que pelas pisaduras de Cristo, fomos sarados.
Pelo sofrimento e dor do Mestre, fomos escolhidos e presenteados com a possibilidade de sermos chamados filhos de Deus (por adoção, é claro), mas desfrutar do Reino de Deus sendo quem sou, (um desprezível pecador) já é mais que suficiente motivo para Adorá-lo e Exaltá-lo.
Mesmo que nossas espadas continuem em nossas cinturas, minha oração é para que Deus no tempo certo nos faça discernir acerca de nossas atitudes e daquilo que entendemos ser a nossa segurança, pois segurança é só com Jesus Cristo o filho de Deus, antes de chegarmos a cortar a orelha dos Malcos da vida.

Um comentário:

Wander Morínigo Teixeira disse...

Se bem que já devo ter cortado a orelha de um punhado.