24 dezembro 2007

Novo ano

Quando o ano muda, nos tornamos reflexivos e projetistas.

Geralmente não agradecemos pelas bençãos advindas no ano que se findou.

Mas antes pedimos e pedimos nossos ideais de presentes e metas para o ano seguinte.

Como sou um ingrato por natureza, fico imaginando em como o ano que vem pode ser melhor do que foi este.

Tantas lutas, dores, choros e sorrisos, derrotas e vitórias marcaram meu ano de 2007.

Talvez 2008 não seja tão diferente assim.

Vou continuar vivendo minha vidinha, tentando acertar em seguir ao Mestre, rabiscando por aí e quem sabe ganhar alguns "presentes" tão almejados para o ano novo.

O caminho ainda é longo, a fila ainda é grande e permanecer é a meta.

Ou como diz a música: Ando devagar, pois já tive pressa, levo a certeza de que pouco eu sei, eu nada sei...

Abraço carinhoso a todos amigos que perdem seu tempo com meros rabiscos de um mero rabisqueiro.

Fiquemos todos na fé do filho de DEUS.

E que venha 2008.

21 dezembro 2007

Casamento

Por Arnaldo Jabor.
Meus Amigos separados não cansam de perguntar como consegui ficar casado 30 anos com a mesma mulher.
As mulheres, sempre mais maldosas que os homens, não perguntam à minha esposa como ela consegue ficar casada com o mesmo homem, mas como ela consegue ficar casada comigo.
Os jovens é que fazem as perguntas certas, ou seja, querem conhecer o segredo para manter um casamento por tanto tempo.
Ninguém ensina isso nas escolas, pelo contrário.
Não sou um especialista do amor, como todos sabem, mas dito isso, minha resposta é mais ou menos a que segue: Hoje em dia o divórcio é inevitável, não dá para escapar.
Ninguém agüenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade.
Eu, na realidade, já estou em meu terceiro casamento - a única diferença é que casei três vezes com a mesma mulher.
Minha esposa, se não me engano, está em seu quinto, porque ela pensou em pegar as malas mais vezes que eu.
O segredo do casamento não é a harmonia eterna.
Depois dos inevitáveis arranca-rabos, a solução é ponderar, se acalmar e partir de novo com a mesma mulher.
O segredo, no fundo, é renovar o casamento, e não procurar um casamento novo.
Isso exige alguns cuidados e preocupações que são esquecidos no dia-a-dia do casal.
De tempos em tempos, é preciso renovar a relação.
De tempos em tempos, é preciso voltar a namorar, voltar a cortejar, seduzir e ser seduzido.
Há quanto tempo vocês não saem para dançar?
Há quanto tempo você não tenta conquistá-la ou conquistá-lo como se seu par fosse um pretendente em potencial?
Há quanto tempo não fazem uma lua-de-mel, sem os filhos eternamente brigando para ter a sua irrestrita atenção?
Sem falar dos inúmeros quilos que se acrescentaram a você depois do casamento.
Mulher e marido que se separam perdem 10 kg em um único mês; por que vocês não podem conseguir o mesmo?
Faça de conta que você está de caso novo.
Se fosse um casamento novo, você certamente passaria a freqüentar lugares novos e desconhecidos, mudaria de casa ou apartamento, trocaria seu guarda-roupa, os discos, o corte de cabelo, a maquiagem.
Mas tudo isso pode ser feito sem que você se separe de seu cônjuge.
Vamos ser honestos: ninguém agüenta a mesma mulher ou o mesmo marido por trinta anos com a mesma roupa, o mesmo batom, com os mesmos amigos, com as mesmas piadas.
Muitas vezes não é a sua esposa que está ficando chata e mofada; é você, são seus próprios móveis com a mesma desbotada decoração.
Se você se divorciasse, certamente trocaria tudo, que é justamente um dos prazeres da separação.
Quem se separa se encanta com a nova vida, a nova casa, um novo bairro, um novo circuito de amigos.
Não é preciso um divórcio litigioso para ter tudo isso.
Basta mudar de lugares e interesses, e não se deixar acomodar.
Isso obviamente custa caro, e muitas uniões se esfacelam porque o casal se recusa a pagar esses pequenos custos necessários para renovar um casamento.
Mas se você se separar sua nova esposa vai querer novos filhos, novos móveis, novas roupas, e você ainda terá a pensão dos filhos do casamento anterior.
Não existe essa tal 'estabilidade do casamento', nem ela deveria ser almejada.
O mundo muda, e você também, seu marido, sua esposa, seu bairro e seus amigos.
A melhor estratégia para salvar um casamento não é manter uma 'relação estável', mas saber mudar junto.
Todo cônjuge precisa evoluir estudar, aprimorar-se, interessar-se por coisas que jamais teria pensado em fazer no início do casamento.
Você faz isso constantemente no trabalho; por que não fazer na própria família?
É o que seus filhos fazem desde que vieram ao mundo.
Portanto, descubra a nova mulher ou o novo homem que vive ao seu lado, em vez de sair por aí tentando descobrir um novo interessante par.
Tenho certeza de que seus filhos os respeitarão pela decisão de se manterem juntos e aprenderão a importante lição de como crescer e evoluir unidos apesar das desavenças.
Brigas e arranca-rabos sempre ocorrerão: por isso, de vez em quando, é necessário casar-sede novo, mas tente fazê-lo sempre com o mesmo par.

Arnaldo Jabor

19 dezembro 2007

Faça o bem.

"E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem." II aos Tessalonicenses 3:13.

E fazer o bem implica em não ver a quem.

Pois não é bem, na forma perfeita, àquilo que se faz a quem se ama.

É bem, o ato que se comete àquele que não conhecemos, ou não se merece recebê-lo.

Fazer o bem tem outra peculiaridade, não nos deve cansar.

Sinceramente, nos cansamos de fazer o bem quando queremos elogios e reconhecimentos.

Fazendo o bem, sem ver a quem, tendo a consciência que DEUS que estás nos céus vê e no devido tempo o reconhecerá é o ideal.

Vale pra mim, deve valer pra você...

17 dezembro 2007

Conjugação dos atos dos olhos.

Os olhos ao luar.

Os olhos a te olhar.

Os olhos a perceber.

Os olhos a lhe ver.

Os olhos a lacrimejar.

Os olhos a fechar.

Os olhos a abaixar.

Os olhos a fugir.

Os olhos a esconder.

Os olhos a transluzir.

Os olhos a abrir.

Os olhos a voar.

Os olhos a amar.

15 dezembro 2007

Luz e Escuridão

Na escuridão ocorre todo o tipo de comportamento.

Seja em ambientes tidos como santos ou profanos.

Nos santos, se fecham os olhos para não ver o exterior.

Nos profanos, se abrem os olhos para não ver o interior.

Em ambas situações uma sensação de liberdade soa no ar.

Talvez falsa, pois talvez a verdadeira liberdade consista em andar na luz.

Mas andar na luz tem suas consequências.

Geralmente os olhos ficam sensíveis.

A preocupação com quem se aparenta ser começa a tomar conta.

O medo, a dor e a aflição se misturam ao suor da dura realidade.

E fugir do que é real, traz alívio, ainda que temporário.

Andar na luz é a solução.

Pois o Mestre é a Luz do Mundo e quem está nEle não anda em trevas.

Mas eu mesmo sei que a escuridão me chama por diversas vezes.

Seja para o santo, ou para o profano.

11 dezembro 2007

Tome seu lugar

Os primeiros lugares são para as autoridades e quem possui o status de uma.

Quem fica por último não é visto, tampouco tem lugar reservado.

As escrituras dizem que entre nós, todos devem ser tratados de maneira igual.

Tanto quem se senta na frente ou atrás, chega cedo ou atrasado, tem direito de estar onde quer.

Tomara que um dia esse direito de preferência mude, o que duvido.

Para que assim sejamos como o Mestre, que não fazia distinção entre uns e outros.

10 dezembro 2007

Dança

O que eu quero é dizer

Que não posso me esquecer

A doce dança da vida

Suave ritmo ao ar

E vendo voce dançar

Liberdade sinto tocar

Talvez falte algo

Completo ninguém o é

O sorriso torna perfeito

O jeito e os ajeitos

Sinceridade fundamental

E o patente potencial

Felicidade chamará

Comigo pode contar

O caminho é trilhar

E a todos ajudar

Com o vento a te levar

Só vejo você dançar

07 dezembro 2007

Eu e Minhas Loucuras

To chegando da quiçaça, quero aprender a lição.

Mão de pobre dura pouco, diga à desigualdade NÃO!

Queria ser artista de cinema, pra ter voz junto ao povão.

Fiz um monte de besteiras, nunca apareci na televisão.

Aos amigos amigos vou dizer, não fugindo a tradição.

Que viver nem é tão bom, pois muito trabalho há.

Mas ao gosto eu não largo, pois preciso salvação.

Nem de longe eu acharia, tamanha consolação.

Eu to fora de religião, que só aliena e mata.

Seguir ao Mestre da Galiléia é a meta, para a cura ao coração.

Minhas loucuras me deixam louco, nem sei bem o que falar.

Mas sei que falo muito pouco, eu queria é chorar.

Lágrimas ficam contidas, esperando a hora chegar.

Ó meu DEUS ve se me ensina, a Teus caminhos trilhar.

De bobeira vou andando, esperando a hora chegar.

Tolo eu que ansioso, aguardo algo mudar.

Cristandade ta falindo, ninguém responde por ninguém.

Contrariando aos ensinos, viram lindos fariseus.

Falam muito e fazem nada, não posso muita coisa dizer.

Pois uma viga atrofiada, em meus olhos me impedem de ver.

Já sei lá o que fazer, só me resta rabiscar.

Para quem saberia, um dia Jesus voltar.

05 dezembro 2007

Sonhar

A constante leitura nos remete a uma vida mais sonhadora.

O grandioso aparato de poetas, escritores e pensadores nos faz ir além.

Admiro os que escrevem sonhos.

Pois de sonhos também vive a humanidade.

Aspirações na medida certa são sadias e corretas.

Só temos que tomar cuidado para não virarmos ansiosos, quanto a nada.

Eu tenho meus sonhos.

E gostaria de vê-los realizados.

Apesar de que alguns mudam constantemente de foco.

O Criador inventou os sonhos.

Talvez pois E'le é um sonhador.

Haja vista a obra da criação ser à Sua imagem e semelhança.

Sonhar é bom.

Acalma o espírito.

Refrigera a alma.

Nos leva a lugares inesperados e impossíveis.

04 dezembro 2007

Adivinhações-Proféticas-Heréticas

A institucionalização dos pensamentos e vertentes se dá pela quase que necessidade humana de ter parâmetros, costumes, normatização.

Nem sempre tal se forma de maneira sadia e o Mestre tanto sabia, quanto combatia diversas instituições e seus seguidores, asseclas.

O "fenômeno" da adivinhação, que para mim não passa de ocultismo, ainda continua a permear o coração das pessoas, nas mais variadas formas de instituições possíveis.

No meio Cristão, se é que assim podemos chamar, haja vista preferirem o termo "evangélico", não são poucos os que buscam através da espiritualidade mística, respostas e adivinhações do futuro, nada tão diferente dos ensinamentos de Kardec, os quais, infelizmente, conheço bem.

O que mais me intriga, em qualquer que seja a forma de crença e institucionalização, é que desde os primórdios da humanidade, seres humanos buscam esse tipo de ritual, o que é claramente abominado por DEUS, seja do jeito que for.

No meio dos "crentes", como também gostam de ser chamados, muitos embora tradicionais, ouvem os "profetas", geralmente oriundos do meio pentecostal, com seus jargões "assim diz o senhor...".

Já vi na tv sandices como pessoas adivinhando a vida de outra na borra de um café e, para mim, isso é coisa do capeta ou quem sabe de mentes fracas e aproveitadoras, que sabem que, via de regra, todos nós, os seres humanos, temos necessidades e aspirações em comum, por ex. que aquele nosso sonho ainda não se realizou, ou seja, o óbvio.

Com base no meu pouco conhecimento bíblico, creio que DEUS não age assim, e, tampouco aprova toda e qualquer manifestação nesse sentido.

Creio que tudo o que teria que ser dito, está contido nas escrituras, que tenho por sagradas, e, o que passar daquilo, seja um vírgula, não procede da boca de DEUS o TODO PODEROSO.

Tenho dito.

03 dezembro 2007

Blog Cabeça

Meu amigo Lou, com sua também gentileza inigualável, presenteou a estes meros Rabiscos, que somente se preocupam em falar das coisas do coração e acerca do MESTRE, que com seu sacrifício, nos proporciona vida eterna. Como eterno Grutense, só tenho que te agradecer a homenagem.



01 dezembro 2007

Vencer ou perder

A vitória exige sacrifício e dor.

Grande parte dos heróis da humanidade foram reconhecidos pós-morte.

Andar pelos vales da sombra da morte nem sempre é de todo ruim.

Não o é, pois a sombra da morte não pode matar, assim como a sombra de um cachorro não pode morder.

A vitória nem sempre consiste em vencer.

Talvez seja mais um modo de andar do que alvo a se alcançar, como dizem.

Apesar do medo que nos acomete, a receita é seguir os mandamentos do MESTRE.

Que nos ensinou a amá-lo tão somente com o cumprimento dos tais.

Questionar é sadio e bom.

Cumprir gera frutos e vida eterna.