11 outubro 2009

Reinos e reinos

Os reinos antigos, muitos conquistadores, tampavam buracos incessantemente.
A história nos remete a diversos imperadores que alargavam seus domínios, mas perdiam a vida pela tamanha ganância de mantê-los.
Um homem a beira da morte, chamado de Rabi por uns poucos da Galiléia, Judéia e Samaria, foi questionado por um Governador Romano.
És tu rei? Foi interpelado.
Se meu reino fosse nesse mundo, dizia o moribundo Mestre, meus súditos me acudiriam.
Logo, tu és rei. Concluiu o Governador.
Tu o dizes. Finalizou o messias nazareno.
Em momentos anteriores, este homem, nascido em Belém de Judá, dizia aos seus discípulos que o Reino dEle estava por vir, e os menores aqui, seriam os maiores lá.
Então, interessa-me compartilhar que o Reino desse moço, o filho do homem, não se preocupa em conquistar sarracenos, bárbaros ou pagãos. Tampouco em alargar seus territórios.
Visa sim, conquistar corações, tornar-nos humanos de verdade, afim de converter-nos ao seu Reino de amor e não vingança.

Um comentário:

Lou Mello disse...

Talvez o pessoal ache o negócio de conquistar corações muito dificil e trabalhoso. Por isso prefiram chantagear, manipular e intimidar os donos dos corações, vítimas incautas que imprudentemente lhes visitam.