22 outubro 2007

Ausência de palavras

As palavras por vezes somem do pensamento.

E quando isto ocorre o silêncio predomina.

Como cristãos, buscamos a resposta nas escrituras e no Senhor.

Às vezes compartilhar o que se passa não é a melhor solução.

E o silêncio da mente se torna o da alma.

E a alma grita clamando por uma saída.

E a saída nem sempre é limpa e agradável como a gente quer.

Esperar mais um pouco se faz preciso.

Mas é de pouco que se faz a eternidade.

O Filho do Homem não está aquém da situação humana.

O Mestre da Galiléia é o único apto a nos trazer o direcionamento vindo do Pai.

Pois o Pai com Ele é um e Ele é um com o Pai.

E nós, os cristãos, somos amigos dEle, o Messias.

O silêncio não dura só uma noite, mas quando se finda as palavras voltam à tona.

Um comentário:

fchagas disse...

meu caro, um pensamento fez ninho (sic!)rs Eis-lo. “Às vezes, o silêncio pode ser mais eficaz do que as palavras. Uma pausa curta pode parecer um longo período para o orador, mas para o ouvinte é uma oportunidade de absorver a informação ou acordar caso tenha adormecido.”.