03 outubro 2007

Desequilibrio

Eu queria escrever coisas novas, melhores, bonitas, sadias.

Escrever o que alguém ainda não escreveu.

E sonhar os sonhos que ainda ninguém sonhou.

Expressar algo que se renovasse e fizesse algo de bom para as pessoas.

Rabiscar algo que viesse a apagar as minhas falhas e defeitos.

Falar daquilo que tenho crido com uma óptica inédita.

Como talvez não consiga, almejarei algo mais real.

A inspiração se dá àqueles que a buscam.

Divina dizem uns, natural dizem outros.

Olhar ao tempo o amadurecimento é privilégio.

Crescer com falhas e contratempos é obrigação.

Ganhar a alma e perder o mundo é mandamento.

E olhar pra frente seguindo ao Mestre é obediência.

Um comentário:

Lou Mello disse...

Você tem minha autorização total e irrestrita para fazer como o disseste. Prefiro que diga, hoje acordei com dores no abdomem (popular dor de barriga) do que citações infindáveis de Fernando Pessoa, Borges e Nouwen. Pior ainda, são aquelas do senhor aí ao lado. Não que eles sejam de todo mal, aliás sou fã da maioria e leitor de quase todos. Mas cada vez que postamos um texto deles, tolhemos nossos leitores de nossas próprias opiniões. Uma vez por ano, em algum momento especial, vá lá. No resto, siga a sua receita, que é ótima.