07 dezembro 2007

Eu e Minhas Loucuras

To chegando da quiçaça, quero aprender a lição.

Mão de pobre dura pouco, diga à desigualdade NÃO!

Queria ser artista de cinema, pra ter voz junto ao povão.

Fiz um monte de besteiras, nunca apareci na televisão.

Aos amigos amigos vou dizer, não fugindo a tradição.

Que viver nem é tão bom, pois muito trabalho há.

Mas ao gosto eu não largo, pois preciso salvação.

Nem de longe eu acharia, tamanha consolação.

Eu to fora de religião, que só aliena e mata.

Seguir ao Mestre da Galiléia é a meta, para a cura ao coração.

Minhas loucuras me deixam louco, nem sei bem o que falar.

Mas sei que falo muito pouco, eu queria é chorar.

Lágrimas ficam contidas, esperando a hora chegar.

Ó meu DEUS ve se me ensina, a Teus caminhos trilhar.

De bobeira vou andando, esperando a hora chegar.

Tolo eu que ansioso, aguardo algo mudar.

Cristandade ta falindo, ninguém responde por ninguém.

Contrariando aos ensinos, viram lindos fariseus.

Falam muito e fazem nada, não posso muita coisa dizer.

Pois uma viga atrofiada, em meus olhos me impedem de ver.

Já sei lá o que fazer, só me resta rabiscar.

Para quem saberia, um dia Jesus voltar.

Nenhum comentário: