13 março 2008

Por aí

A amizade de Cristo se faz presente pelo motivo que Ele compartilhou conosco as obras do Pai.

De tal modo que não nos chama mais de servos, mas sim de amigos.

Sempre peço a Deus que faça de mim um espírito agradecido e disposto.

Tenho crido no Deus vivo, acima dos dogmas humanos.

O que Deus estabelece, antes de estar na autoridade de alguém, está no coração.

A paz é que manda.

Tanto, que é a paz que deve nos guiar, ser nosso juiz, parâmetro, árbitro.

A proposta não é ser separado, mas sim ser inserido.

E o melhor lugar para se estar não é escondido, mas sim como luz no mundo, que não se esconde embaixo da cama, ou dentro de igrejas.

Viver sua vida, tendo a consciência de que um dia prestaremos contas diante do Justo Juiz sobre nossos atos é mais que figurar como parte em um processo, é como se o universo fosse testemunha nos autos.

Por hoje, basta.

Um comentário:

Lou Mello disse...

Não se iluda, meu caro, pois não haverá esse tipo de julgamento. O Justo Juiz dirá apenas: Bem vindo à sua casa!