05 julho 2014

O caminho que nos traz a paz

Não vos enganeis, disse o filho do carpinteiro, estreito é o caminho.

Largos são os caminhos que conduzem à perdição, completou.

No caminho ousamos andar, correr, descansar, comer, por vezes ousamos ousar.

Nada há que não seja vaidade, inclusive no caminhar.

Os pés ficam calejados e cheios de poeira ou finos e limpinhos.

Tem lugar que a poeira tem que sair dos pés, também tem lugar que dá vontade de manter os pés sujos com aquela boa poeira.

Se há vida há caminho a trilhar.

Se respiro, não posso parar.

Se descanso, posso perder o tempo de chegada, porém se não descansar, posso ficar na metade sem fôlego.

Há muitos caminhos, um só porém nos traz a paz que excede o entendimento.

É árduo mas seu fim, não é amargo como absinto, é alívio para pés cansados.

Meu eu interior quer trilhar o caminho mais difícil (e mais correto), meu eu exterior o caminho mais fácil (e de fim duvidoso).

Mas em todas estas coisas, temos a possibilidade de vitória, pois E'le se deu por nós, ainda quando éramos mais pecadores do que somos.


Nenhum comentário: