19 outubro 2010

O (mau) caráter das pessoas

Dias atrás, via uma contestação judicial, fui taxado de agir com má-fé, safadeza, mentira.

Até pensei em responder, como fazia e gostaria de fazer, mas me calei.

Meu caráter, já formado segundo a ciência, é mais mau que bonzinho, muito embora eu ainda ache que em mim mesmo há muitas coisas (atitudes, conceitos, etc) boas.

Semanalmente vejo-me lendo Galátas 5, e a diferenciação dos frutos da carne e do espírito. Confesso que muito mais me sentido o Caju da Carne do que a Cereja do Espírito.

Naquele caso, penso (talvez por meu caráter corrompido) que agi corretamente, e que o nobre colega apenas enalteceu sua tese de defesa para tentar ludibriar o juiz. Verei na sentença, se um dia ela sair de lá, óbvio.

No mais permaneço eu, acreditando que acredito, tentando o impossível (salvar-me a mim mesmo). Quiçá um Galileu que uns dizem ser o deus desconhecido dos gregos me salve, se puder!

Nenhum comentário: