25 abril 2010

2012

Penso nas especulações acerca deste ano.



O ibope vai as alturas quando se diz "fim do mundo".



Canais de tv fechada exploram as "profecias" de Nostradamus, dos Maias, Incas, Egípcios, fumadores de haxixe, demais religiões e pensadores.



O fim é inevitável. A extinção dos recursos naturais é inevitável.



Se hoje ou amanhã, ou ainda daqui a séculos, só Deus o sabe.



Defendo veementemente a volta de Jesus Cristo ao planeta Terra, não como alguns, mas esperando a geração da figueira* que creio não ser a minha.



Penso (logo existo), que as especulações sobre o fim são mal fundamentadas e, lógico, irealizáveis.



O que realmente têm importância se o mundo acabar?



Primeiro, se existe um Deus, o que prestar contas a Ele.



Segundo, se existe uma consciência no além, o que prestar contas a si.



Terceiro, se não existe nada, o que fazer agora, preservar a vida e a natureza, ou acabar mais rapidamente com os recursos naturais.



Várias as hipóteses, inúmeras respostas e soluções.



Sugiro, como se isso bastasse, que amemos a Deus acima de tudo (isso é proveniente da fé), amemos uns aos outros, amemos este planeta e simplesmente, amemos.

Nenhum comentário: