02 julho 2009

Ateísmo

Richard Dawkins alegou na feira literária de paraty 2009 que "é um grande desperdício pensar no que vem após a vida".

Dawkins é tido como o maior ateu do mundo, e tem travado grandes batalhas contra as religiões mundiais.

Por outro ângulo, não seria um desperdício não pensar no que vem após a vida?

Em uma das suas respostas, Dawkins disse que se encontrasse Deus, se escusaria com seguinte alegação: "não havia provas Deus, não havia provas".

Mais provas que o céu, o mar, a natureza em geral?

Mais provas do que o fato de um simples filho de carpinteiro mudar a história da humanidade, e ainda cumprir inúmeras profecias do antigo testamento nele mesmo? ( a probabilidade de se cumprir em uma pessoa seria uma e mais de um trilhão)

Não seria um desperdício não pensar no que vem após a vida e lutar noite após noite de insônia com a possibilidade de estar errado?

Mas ele apresenta seu lado positivo e que contêm apoio, a crítica às religiões.

Pois aquilo (ou aquele) que é religioso, prejudica o verdadeiro sentido de viver, e de crer num Deus que fez os céus e a terra.

A religião induz a tudo de ruim no ser humano, inveja, porfias, inimizades, e tantas outras situações das quais são tidas como fruto da carne, e não do Espírito.

O tema é longo, a discussão plena e vívida, a busca incessante.

Dawkins, se continuar sua busca, irá achar a verdade, nós, se também buscarmos, também acharemos, enquanto ela ainda se pode encontrar.

Um comentário:

Lou Mello disse...

O Richard pode estar certo em tudo que diz. O único problema é que Deus e suas criações podem não fazer parte do saber desse senhor e isso faz toda a diferença. Em suma, é um ignorante. Todos nós somos, na verdade, quando o tema diz respeito a algo que não está em nossos arquivos.