07 junho 2009

Modernidade

As diversas áreas do conhecimento estão se alargando.

No passado, as ciências eram poucas e o conhecimento individual escasso.

Incrível como a ciência, e por conseguinte a humanidade evoluíram tanto a ponto e voar, ou ir ao espaço, ou ainda ter a cura para várias doenças.

No Livro de Daniel, tem um versículo que diz que a ciência/conhecimento se multiplicaria.

Alguns dizem ser um dos sinais do fim dos tempos.

A concorrência desleal do mercado de trabalho tem a ver com isso.

Afinal, com o alto índice de informações, ganha espaço quem mais as absorveu.

Nesse sentido a fé de muitos se esfria.

Não é de se estranhar, pois com o pseudo-conhecimento, surge a pseudo-independência, de Deus, do mundo e de tudo que nele há.

Sabendo disso, creio que Deus criou um mecanismo no coração humano para sentir falta de algo, sentir a incomplitude de ser humano, a falta de amor divino, e mais, de sentido existencial.

Esse é o elo entre o Divino e o carnal.

O conhecimento por si só não supre o sentido de viver.

2 comentários:

Lou Mello disse...

A idéia de buscar o conhecimento como ao ouro e a prata é uma antiga orientação bíblica (vide provérbios). O saber pode afastar o homem de Deus, tanto quanto o não saber, já que Ele não está nisso. Será legal se você tornar-se um sábio servo de Deus.

Djalmir disse...

Deus, só pode ser acessível através do conhecimento, não do conhecimento humano, mas Divino; e, se é Divino não pode ser transmitido outro homem. Ao homem não é dada essa honra. Eis aí a inutilidade da teologia.

Os teólogos não concordam nem mesmo com o objeto principal de seu estudo, Deus.

As ciências são úteis para a humanidade, visam melhorar a nossa vida. Mesmo as mais simples; a teologia não.

Djalmir