04 abril 2008

O tempo do silêncio

Melhor é não falar do que falar besteiras.

Temos que a vida, como hoje se encontra, está cada dia mais distante da abundância prometida.

Crianças que caem dos prédios sem explicação e que morrem de dengue após terem sido liberadas do hospital.

Políticos roubando a torto e a direito.

Eu sonhando em ter e ser sempre mais.

Bad boys esperando a luta de seus cães.

Grutenses ansiando Davi os resgatar de lá.

Almas querendo sair da Bacia.

Morte e mais morte, sujeira e mais sujeira.

Jovens a beira do estado vegetativo pela depressão.

A briga dos titulares de meras correntes doutrinárias que nem valem nada.

Greves que não tem fim.

Entrar mudo e sair calado.

Sangue derramado.

Flecha lançada.

Palavra já dita.

Devia ter ficado quieto.

Um comentário:

Lou Mello disse...

É verdade, quase sempre é tempo de ficar calado.