11 julho 2007

Preâmbulo

" Nós, respresentantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a PROTEÇÃO DE DEUS, a seguinte Constituição da República Federativa do Brasil."

Preâmbulo da CF/88.
(Grifo Nosso).

Como aspecto teórico e uma espécie de visão quanto à finalidade entendo ser completo tal preâmbulo.

Diria eu, até Cristão, implícitamente, haja vista os princípios decorrerem em grande parte do Mestre Jesus.

Incrível como mesmo nas civilizações mais remotas o ser humano busca ao sobrenatural.

Tal sobrenatural se dá pois algo de nós tende a querer explicações.

Hoje acordei e comecei a pensar sobre os sonhos. Neles fugimos da realidade, nossas fantasias são cumpridas, matamos, morremos, voamos, conversamos, estudamos e, como se fosse uma vida paralela, vivemos.

Sonhos já serviram várias vezes de sinais/profecias para acontecimentos futuros.

De regra, enquanto estamos acordados ele dorme, quando dormimos nossos sonhos acordam.

E até onde sei, somente ao ser humano, foi dado a capacidade de sonhar.

Talvez pelo fato de que Deus tenha colocado o homem como coroa da criação.

No Estado Democrático de Direito nosso, invocamos a proteção de Deus, e tácitamente cremos ser E'le o criador que nos guarda e protege.

Expressamente adotamos teorias várias, adotamos outros deuses , outras criaturas e outras criações como amuletos.

Como cristão vejo que não há salvação fora da fé judaica-cristã.

E respeito aqueles que optam por "imagens", "ervas" e "ensinamentos de outros mestres".

Ainda não achei nada parecido com o Cristianismo como proposta racional de solução de conflitos ante a vida humana e de vida eterna.

Finalizo, SOB A PROTEÇÃO DE DEUS, mas não de qualquer deus, do Deus de Israel, que nos enviou seu único filho, para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna Jo 3:16.

2 comentários:

Lou Mello disse...

Gostei do post, especialmente da parte dos sonhos. Confesso que tenho problemas com a nossa constituição atual. Quando estava na escola, em meus anos de formação, carreguei cartazes em favor de uma constituinte e me arrependo amargamente disso.

Alysson Amorim disse...

Vejo sempre seus comentários na Gruta e no Vibrações da Alma. Hoje resolvi conhecer seu blog. Um bom post. A busca pelo sagrado é realmente coisa da essência humana e existe tanto entre os aborígenes australianos como entre os herdeiros do projeto iluminista, como nós (fato que nossa Constituição testifica, já no seu preâmbulo).

Suas reflexões sobre o sonho me acordaram para uma frase do Quintana: "Sonhar é acordar para dentro." Ando fascinado com esta coisa, o sonho. Toda forma de religiosidade, com seus rituais e símbolos, têm suas raízes fincadas ali, no fascinante mundo onírico.

Um grande abraço.