06 abril 2007

Paixão

Como não se lembrar do sacrifício naquela cruz.

Como sabiamente disse um amigo, não era Jesus que estava lá, mas sim os meus e seus pecados, pregados na cruz do Calvário.

E pelas pisaduras do Mestre, fomos sarados.

Tudo para que se cumprisse as escrituras.

E ao homem fosse permitido uma religação à DEUS.

Ao terceiro dia o Mestre ressuscitou.

E Ele vive, ainda hoje, e estará conosco, todos os dias, até os dias da eternidade.

2 comentários:

Dáuvanny, desassossegada disse...

Retribuindo a visita amável. Gostei do que li: Cristianismo. Direito... ou Cristianismo Direito... Assuntos que me interessam e conduzem a um único lugar: lugar urgente e o tempo urge. Retornarei, certamente. Abraço.

Lou Mello disse...

Já vi que você tem bons amigos. Parabéns!