12 abril 2007

Dinheiro e OAB

No mundo onde mamom prospera.

Surge os seguidores do louco chamado Cristo.

Na contra mão, com a ousadia do Espírito, que é Santo.

Estes, como eu, creêm que promessas não ultrapassam o quesito necessidade.

Logo, todas as nossas, dos seguidores do Cristo, serão supridas pelo Senhor, nosso Mestre.

Várias vezes o Mestre disse que não deveríamos nos preocupar acerca disso.

Percebo que se não é O, é um dos temas que mais aflige a humanidade: dinheiro.

Contas, sonhos, cheques, cartões, empréstimos, e mais contas.

Viver em paz com suas finanças não é ter $ no fim do mês.

Mas sim confiar...

Pois ainda que a situação financeira esteja difícil.

E, como eu acredito, raramente Deus fará milagres nessa área, em regra.

Só nos resta confiar.

Confiar pois nossa pátria, a dos Cristãos, não é aqui.

Confiar, pois mesmo que não tenha o milagre, em regra, Deus já nos deixou ensinamentos suficientes na Escrituras para que a tomássemos por parâmetro.

------------------------------------------------------------------

Domingo eu irei prestar a prova da OAB.

Além de mim, tenho visto muitos dos meus amigos e colegas mal.

Depressão pré-OAB, dizem uns.

Sei que não é fácil estudar cinco anos e chegar na prova não passar.

Hoje saiu no site da Globo (www.g1.com.br) que somente 13% dos inscritos passaram no exame da OAB, seccional São Paulo.

Por aqui, não é muito diferente.

Além da dificuldade na prova, está também no mercado de trabalho.

Na mesma SP, já vi na tv bacharéis na fila para inscrição em concurso de gari.

Uma amiga muito especial me disse que estarei sempre onde Deus quer que eu esteje.

Não, não sei se ela é calvinista, mas isso me dá uma paz.

Saber que Deus tem um propósito e que não será frustrado.

Gondim disse que Deus é como um fabricante de relógio.

Depois de pronto e dado corda, o mesmo anda por si só.

Cabendo ao relojoeiro a manutenção do mesmo a posteriori.

Tudo isso faz um emaranhado dentro de mim.

Prefiro ficar com os dois, ou talvez com a filosofia.

Só sei que nada sei...

3 comentários:

Lou Mello disse...

Um velho professor meu dizia que a hora certa para fazer uma prova ou exame é quando você tem certeza de completá-la com cem por cento de acerto. Se esse for o seu caso, não há nada a temer.

Wander Morínigo Teixeira disse...

Já que este não é meu caso, resta-me responder o que sei, chutar o que não sei e orar, só orar.
Valeu Lou

Anderson J. Leal Moraes disse...

Eu já passei por isso...

Sei que pode ser inoportuna a pergunta, mas, e aí!? Como foi!?