13 fevereiro 2007

Nos eixos

Não sou uma sumidade, e em todas as áreas, por vezes gaguejo ao tratar de assuntos que não possuo o conhecimento necessário ao bom desempenho de uma discussão. Se escrevesse me sairia melhor, haja vista não se ter de encarar o sujeito contrário à sua linha de raciocínio, isto também em parte.

Sou Cristão por entender que meu Mestre, aquele a quem sigo, ou pelo menos tento/ pretendo, tem aquilo que a Bíblia chama de "as palavras de vida eterna".

Ao contrário de Jesus, que não titubeava perante seus oponentes, mas tratando-os sempre com honra, mesmo sendo adversários, os vencia facilmente pelo poder/ persuasão de suas palavras.

Pra ser sincero ainda não caiu a ficha das consequências de me tornar Cristão, apesar de experimentar invariavelmente algumas "retaliações" e sentimentos, que já havia sido avisado pelo Mestre dos Mestres.

Sei também que por mais que eu tente, não deixarei de ser um homem de pequena fé, a não ser que receba o dom da fé algum dia.

Como disse Lou Mello (http://www.agrutadolou.blog.br/blog/), fazendo minhas tais palavras, sou liberal demais para conservadores e conservador demais para liberais.

Não sei onde me encaixo, mas sei que na lista dos vencedores, cabeças e não caudas, prósperos e hiper-felizes sei que não rola.

Quem sabe eu tenha sido feito, para andar com perdedores, marginais, pobres tanto de espírito quanto materialmente, necessitados, amargurados, doentes, etc.

Jesus escolheu a segunda opção, alegando que não veio para sãos, mas sim a doentes...

Como Cristão, pela lógica, o que eu deveria fazer........?

Desfrutar das maravilhas da vida e dos meus vinte e poucos anos, ou dar mais de mim a essa gente que NUNCA poderia me oferecer NADA em troca???

questão díficil

Misericórdia de mim, que sou pecador

Um comentário:

Paula disse...

Só o facto de andares a reflectir nisso, pelo menos a mim mostra-me qual vai ser a tua opção de vida.

Abraços